Pesquisar este blog

domingo, maio 13, 2007

Corpo-espaço-tempo

Tem momentos na vida que são decisivos e marcam uma virada sem volta. Nada mais será como era antes, nada, um vazio pra peenchermos com coisas novas. Não tem, não tem mesmo volta. Adiante é o caminho da gente... até, como diria Guimarães, começarmos a trafegar pra cima. Pras estrelas. Por enquanto nos resta vagar pro desconhecido e esperarmos a certeza, única, que nos resta. Enquanto não vem essa visita do fim, preservo o cultivo da sabedoria, do acúmulo de experiências no dia-a-dia, o real proveito que elas me trazem. Quero ser um dia um velho sábio. Assim sinto que vivo, triste, por hora, é verdade, mas vivo. Mais transparente pra tudo, sincero, sempre, pra não enganar a mim mesmo. Aos outros me construo e me reflito, nessas atitudes. Talvez por isso tanto me confiam... e agradeço.

Talvez fique sem escrever por um tempo. Pelo menos por aqui... volto quando meu corpo sentir que é hora. Por enquanto escreverei por aí e ouvirá quem por hora estiver no lugar certo e na hora certa. Escrever com o corpo no espaço, improvisar, ensaiar, criar minha Carta ao Corpo pra preencher cantos vivos, em matéria palpável, em aglomerados de gente que te vêem e te tocam. O fato é que quero troca, sincera, sincera troca presente ligada no momento faiscante emocionante política sensata entre dois seres entre o mundo pro cosmos

!

Assim, fico assim. Escrevendo minha carta. Cento e poucos textos por aí, na internet, aqui e em comentários de outros blogs. Agora me ache se me perseguir nas veredas que frequento. Em corpalma de baixo de um teto ou numa arena a céu aberto, a descobrir na ação do texto o que aqui construí em pensamento

E poesia.

Deito e espero um deleite
Criativo
A cabeça revira enquanto inquieto
Escuto quieto o meu quê hiperativo
Tremo e sorrio
Arrepio
De repente um frio e vejo
Estou suspenso
Suando fino
É o começo do que percebo
Ser o momento primeiro de quando crio.


Nos vemos em corpespaçotempo.

4 comentários:

Thalita Correa disse...

Muito lindas as suas palavras, porém às vezes o silêncio diz muito mais que elas...
Nada mais será como era antes, porque será melhor, diferente, mudanças nos fazem sair de rotinas, por isso por vezes assustam, fique tranquilo porque tenho certeza que o Sr, Destino te reserva um lindo futuro...beijos

Desconhecido disse...

Ahhh dor, dor de amor.....por quantas e quantos? Dor de nós mesmos! um aperto de peito. um contra o outro, como mãos dadas, ficam só! Ahh dor no peito, comprimido por meus pensamentos! Só não deixe de estar....!

Anônimo disse...

Estou órfã! Mas como toda filha, acho que esta é uma sábia decisão, caso seja momentânea...

Vou correr por aí atrás dos seus textos. Por favor, vá deixando pistas de onde eles estão!

Beijos,Tha.

Anônimo disse...

Não é que parou mesmo? E onde está canalizada agora esta força dramático-criativa?

Bjs, Tha.