Pesquisar este blog

sexta-feira, outubro 01, 2004

o corpo de ossanha




Gostaria de começar somente com uma poesia. Não acho que tenha muito haver, num primeiro olhar. Mas não sei porque ela me diz algo que quase me obriga a colocá-la como
abre-alas. Prefiro seguir minha intuição e tentar entender de outra forma depois. Eis que abre o canto, o clamor, o corpo de Canto de Ossanha:


Canto de Ossanha

Composição: Baden Powell/Vinícius de Morais

O homem que diz dou, não dá
Porque quem dá mesmo não diz
O homem que diz vou, não vai
Porque quando foi já não quis
O homem que diz sou, não é
Quem é mesmo é não sou
Tô, não tá, ninguém está quando quer
Coitado do homem que cai no canto de Ossanha, traidor
Coitado do homem que vai atrás de mandinga de amor
Vai, vai, vai
Não vou
Vai, vai, vai,vai
Dizer que eu não sou ninguém de ir em conversa de esquecer a tristeza de um amor que passou
Não, eu só vou se vou pra ver uma estrela aparecer na manhã de um novo amor
Amigo, senhor, saravá
Xangô me mandou lhe dizer
Se é canto de Ossanha não vá
Que muito vai se arrepender
Pergunte ao seu orixá
Amor só é bom se doer
Vai, vai, vai amarvai, vai, vai, vai sofrer
vai, vai, vai, vai chorar
vai, vai, vai
Dizer que eu não sou ningém de ir em conversa de esquecer a tristeza de um amor que passou
Não, eu só vou se vou pra ver uma estrela aparecer na manhã de um novo amor



Um bom negrinho é o que tem o suingue no sangue de negro que requebrou pra sobreviver à escravidão. Corpo de negro, corpo de branco, corpo mestiço, corpo de índio, corpo imigrante, corpos brasis.

Durmam com Ossanha!

Abraços. Leandro.

Um comentário:

MANNATECH disse...

Hi Leandro Hoehne: Interesting blog. I’ll save it in my favorites. I too have a blog about REXALL. <. Just in case, you’re interested in, REXALL check out my site. The company is endorsed by over 350 Pro Athletes. A good site for more information is http://www.xelr8-xelr8.com. Take Care